quarta-feira, 16 de maio de 2018

El Precio de la Risa (2017)

.
El Precio de la Risa de Gabriel Lechón (Espanha) é um documentário sobre a vida de Paco Martínez Soria, actor espanhol que dividiu a sua carreira entre os palcos e o cinema onde se iniciara em 1934 com Sereno... y Tormenta, de Ignacio F. Iquino até La Tía de Carlos (1982), de Luis María Delgado, naquela que foi uma carreira sempre muito conotada com os dias da ditadura franquista.
O argumento de Pablo Urueña recupera um conjunto de imagens da obra do actor e produtor teatral, acompanhadas de todo um leque de testemunhos de actores que trabalharam com ele tais como Emilio Gutiérrez Caba ou alguns dos teóricos do momento como o escritor Javier Lafuente, o director da revista especializade Cinemania, Carlos Marañón ou mesmo do filho cuja vida foi dedicada à Igreja, entre outros que enquadram a sua obra no tempo, na relevância nos dias de hoje onde assumem que alguma da sua filmografia é ainda líder de audiências na televisão espanhola revelando que a importância do seu trabalho é, portanto, intemporal.
Com uma referência às suas origens mais humildes às quais sempre regressou como forma de sentir o apoio e o carinho daqueles para quem o seu trabalho era, de certa forma, dedicado, El Precio de la Risa confere ao espectador uma abordagem fresca, dinâmica e francamente fluída do homem por detrás da obra. Com um claro enfoque nas obras que protagonizou e que se classificavam maioritariamente junto da comédia simples e popular, todos aqueles que deixam o seu testemunho são claros e esclarecidos sobre a sua empatia e proximidade com o grande público, tornando-o num dos rostos mais conhecidos do mesmo sendo abordado em qualquer parte do país em que se encontrasse. Mais, todos referem o drama que sentia quando viajava para fora do país, onde as suas obras não chegavam, e o desconforto causado por não se sentir próximo daqueles com quem se cruzava desejando regressar de imediato.
Todos são ainda claros nos pequenos grandes elementos que caracterizam a sua obra, nomeadamente em aspectos como a constante dicotomia entre campo e cidade e em interpretar homens que, vindos de origens mais humildes, encontram dificuldades nas grandes cidades e na vida que se espera tenham na mesma. Com uma grande aceitação popular nos meios rurais e cidades mais pequenas, Paco Martínez Soria apenas consegue encontrar o reconhecimento do público de Madrid em La Ciudad no es para Mí (1966), de Pedro Lazaga onde a sua personagem encontra na vida citadina uma constante corrupção dos valores morais que encontra no seu meio mais rural.
Para lá de uma análise ao seu percurso cinematográfico, este documentário entrega ainda ao espectador um olhar sobre a sua trajectória teatral onde, dono de uma companhia itinerante, exercia para lá da óbvia função formativa a todo um conjunto de novos actores onde se encontravam o já referido Gutiérrez Caba mas também José Sacristán, por exemplo, e, na qual, se tornava um profissional muito mais exigente e pouco descontraído ao contrário do sentido enquanto profissional de cinema.
Fluído e muito importante enquanto objecto didático e de estudo sobre uma das personagens mais queridas do cinema e do teatro espanhol, El Precio de la Risa é um documentário original ao abordar a História por detrás das histórias e das personagens do cinema do país vizinho e, como tal, indispensável para o conhecimento do mesmo.
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário