domingo, 23 de janeiro de 2011

Hot Fuzz (2007)

.
Hot Fuzz de Edgar Wright é uma brilhante comédia negra que reune novamente o realizador britânico à dupla de actores Simon Pegg e Nick Frost depois do estrondoso sucesso que foi o filme Shaun of the Dead.
Nicholas Angel (Pegg) um brilhante polícia com um curriculum brilhante é afastado do seu posto na grande cidade e enviado para uma vila de interior por ser um ás nas detenções de criminosos. Descontente com o sucedido provocado pela inveja dos seus colegasm Angel chega àquilo que parece ser uma pacata e simpática vila onde simplesmente nada acontece.
No entanto a realidade está longe de ser esta. Aquela que aparenta ser um pacata vila rapidamente se transforma no palco de uma série de desconcertantes crimes que assolariam a tranquilidade de qualquer um. No entanto, para um local recheado de polícias que em muito devem à inteligência tudo não passa de um conjunto de azares e acidentes... Para todos à excepção de Angel.
Este filme com argumento do próprio realizador Edgar Wright e de Simon Pegg, o actor principal, é um excelente exemplo de como a comédia negra está viva e de boa saúde, recomendável para todos.
Se inicialmente nos deixamos saudavelmente "iludir" pelos propósitos daquela que parece uma simpática comédia cheia de boas intenções, rapidamente percebemos que chegamos a uma comunidade em que alguns rostos escondem mais do que uma mera simpatia. Algo por ali é estranho e, utilizando uma expressão muito conhecida, algo cheira a esturro.
Os argumentistas estão de parabéns pois, apesar de nos deixarem a suspeitar de "algo", nunca é claro o suficiente para percebermos a dimensão do que as sequências finais do filme nos reservam.
De parabéns estão também os momentos "gore" que o filme nos reserva através das mortes encenadas. São realmente macabras demais para um filme de comédia, e é nesse exacto momento que este se torna mais sério e "negro". Contribuem de forma decisiva para os momentos mais pesados de toda a acção. E alguns deles... bem pesados... a sequência da morte no pátio da igreja...
Uma ressalva igualmente positiva à prestação do vasto grupo de secundários que dinamizam de forma bem positiva este filme, entre os quais destaco Timothy Dalton, Jim Broadbent e Paddy Considine que reunem aqui importantes e interessantes desempenhos para a acção total do filme.
Sendo assim, dito isto, o que temos? Um magnífico e de bom entretenimento filme de comédia negra, em doses bem servidas de cada, que durante aproximadamente duas horas nos deixa ora na dúvida, ora no suspense ora com agradáveis sequências de comédia e com grandes assassinatos que nos prende a atenção do início até ao final.
E para aqueles que gostam da dupla protagonista, não se esqueçam de procurar pelo filme Zombies Party que terão uma igual dose de surpresas e boa disposição.
.

.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário