terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Fantasia Lusitana (2010)

.
Fantasia Lusitana de João Canijo é um dos mais interessantes e bem realizados documentários do cinema português alguma vez feito.
Centrado no período da Segunda Guerra Mundial, este documentário passa imagens da Lisboa dos anos 40, acabada de sair de uma Exposição do Mundo Português e que começa a receber não só osrefugiados do conflito que assolava a Europa bem como os seus ecos.
À medida que as imagens de uma Lisboa alegre mas tímida passam pelo nosso ecrã, escutamos os relatos daqueles que cruzaram a cidade na sua longa espera para rumar à América, e as palavras que nos deixam não só sobre a cidade como sobre os seus habitantes e costumes.
Este documentário, pelo qual dou sentidos aplausos a João Canijo pela inovação e irreverência a mostrar-nos imagens que, na sua grande maioria, desconhecemos que existem, é um fresco e reforçado olhar sobre como o documentário pode ser um interessante género a explorar ainda mais no nosso país.
Tantos são os temas que podem ser abordados, e se pegarmos apenas neste período da nossa História, temos aqui histórias sem fim que podem ser contadas e exploradas para melhor conhecermos o nosso passado.
Canijo, que já nos habituou a magníficas histórias ficcionadas no cinema, tráz-nos agora este olhar sobre um complicado e conturbado período não só da História Europeia que em muito influenciou a nossa vivência nos difíceis anos 40 do século passado, e acaba por ser interessante não só ver essas imagens como também escutar as opiniões daqueles para quem Portugal não era mais do que um país esquecido no ocidente da Europa.
Gostei igualmente da ideia transmitida de que enquanto uma guerra decorria lá fora, também cá dentro existia uma centrada na implantação de um regime ditatorial, e como foi exactamente este pequeno "rectângulo" o porto de abrigo de povos que vinham de tantas e dispersas paragens.
Muito bom trabalho que não só enriquece o nosso panorama histórico como especialmente aquele que é, neste blog, o mais importante... o cinema.
.
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário