domingo, 6 de novembro de 2016

HFPA Cecil B. De Mille Award goes to...

.
A Hollywood Foreign Press Association (Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood) anunciou na passada semana que a homenageada com o prémio carreira Cecil B. De Mille seria a já vencedora de oito Globos de Ouro... Meryl Streep.
A actriz norte-americana que é uma presença assídua na gala anual dos Globos de Ouro e já detentora de três Oscars - Kramer versus Kramer (1979), Sophie's Choice (1982) e The Iron Lady (2011) - e considerada uma das maiores actrizes do mundo iniciou o seu percurso cinematográfico com a animação Everybody Rides the Carousel (1975), de John Hubley seguindo depois o premiado Julia (1977), de Fred Zinnemann, The Deer Hunter (1978), de Michael Cimino, Manhattan (1979), de Woody Allen, The Seduction of Joe Tynan (1979), de Jerry Schatzberg e Kramer versus Kramer (1979), de Robert Benton na década de 70, filme com o qual venceria o seu primeiro Oscar como Actriz Secundária.
Meryl Streep inicia a década de 80 com The French Liutenant's Woman (1981), de Karel Reisz, Still of the Night (1982), também de Robert Benton, Sophie's Choice (1982), de Alan J. Pakula filme com o qual venceria o segundo Oscar - agora de Melhor Actriz Principal - Silkwood (1983), de Mike Nichols, Falling in Love (1984), de Ulu Grosbard, Plenty (1985), de Fred Schepisi, Out of Africa (1985), de Sydney Pollack, Heartburn (1986), novamente sob o comando de Mike Nichols, Ironweed (1987), de Hector Babenco, Evil Angels (1988), de Fred Schepisi e She-Devil (1989), de Susan Seidelman com o qual "fecha" a década.
Postcards from the Edge (1990), de Mike Nichols foi um dos primeiros filmes da década seguinte, ao qual se seguiram Defending Your Life (1991), de Albert Brooks, Death Becomes Her (1992), de Robert Zemeckis, The House of Spirits (1993), de Bille August - este filmado em Portugal mais concretamente em Lisboa e no Alentejo - The River Wild (1994), de Curtis Hanson filme que lhe granjeou estatuto de estrela de blockbuster, The Bridges of Madison County (1995), de Clint Eastwood, Before and After (1996), de Barbet Schroeder, Marvin's Room (1996), de Jerry Zaks, Dancing at Lughnasa (1998), de Pat O'Connor, One True Thing (1998), de Carl Franklin e Music of the Heart (1999), de Wes Craven.
O início do novo milénio trouxe a Meryl Streep projectos como Artificial Intelligence: AI (2001), de Steven Spielberg, Adaptation (2002), de Spike Jonze, The Hours (2002), de Stephen Daldry, The Manchurian Candidate (2004), de Jonathan Demme, Lemony Snicket's A Series of Unfortunate Events (2004), de Brad Silberling, Prime (2005), de Ben Younger, A Prairie Home Companion (2006), de Robert Altman, The Devil Wears Prada (2006), de David Frankel, a longa-metragem de animação The Ant Bully (2006), de John A. Davis, Dark Matter (2007), de Chen Shi-Zeng, Evening (2007), de Lajos Koltai, Rendition (2007), de Gavin Hood, Lions for Lambs (2007), de Robert Redford, Mamma Mia! (2008), de Phyllida Lloyd, Doubt (2008), de John Patrick Shanley, Julie & Julia (2009), de Nora Ephron, a terceira longa-metragem de animação chegou com Fantastic Mr. Fox (2009), de Wes Anderson e It's Complicated (2009), de Nancy Meyers.
A segunda década deste milénio trouxe o terceiro Oscar - segundo enquanto Melhor Actriz - com o filme The Iron Lady (2011), de Phyllida Lloyd, Hope Springs (2012), de David Frankel, August: Osage County (2013), de John Wells, The Homesman (2014), de Tommy Lee Jones, The Giver (2014), de Phillip Noyce, Into the Woods (2014), de Rob Marshall que lhe conferiu a décima-nona nomeação a Oscar, Ricki and the Flash (2015), de Jonathan Demme, Suffragette (2015), de Sarah Gavron e Florence Foster Jenkins (2016), de Stephen Frears filme pelo qual é falada novamente para os Oscars estando em pré-produção para uma interpretação em Mary Poppins Returns, de Rob Marshall.
Para lá do prémio de interpretação em Cannes - Evil Angels em 1989 - do Urso de Prata em Berlim por The Hours em 2003 que partilhou com Nicole Kidman e Julianne Moore, dos dois Emmy ganhos por Holocaust em 1978 e Angels in America em 2004, Meryl Streep venceu ainda dois BAFTA por The French Liutenant's Wife em 1982 e The Iron Lady em 2012, dois Actor da SAG por Angels in America em 2004 e Doubt em 2009, vários prémios da crítica especializada e ainda três Oscars da Academia por Kramer versus Kramer, Sophie's Choice e The Iron Lady e ainda nomeações por The Deer Hunter em 1979, Adaptation em 2003 e Into the Woods em 2015 enquanto Actriz Secundária e The French Liutenant's Woman em 1982, Silkwood em 1984, Out of Africa em 1986, Ironweed em 1988, Evil Angels em 1989, Postcards from the Edge em 1991, The Bridges of Madion County em 1996, One True Thing em 1999, Music of the Heart em 2000, The Devil Wears Prada em 2007, Doubt em 2009, Julie & Julia em 2010 e August: Osage County em 2014.
Mas se Streep é recordista de nomeações nos Oscars, é também verdade que é a actriz mais nomeada aos Globos de Ouro - que agora a distinguem com o seu prémio carreira - com vinte e nove nomeações que se converteram em oito prémios. Streep saiu vencedora de Globos de Ouro em Kramer versus Kramer (Actriz Secundária em 1980), The French Liutenant's Wife (Actriz Drama em 1982), Sophie's Choice (Actriz Drama em 1983), Adaptation (Actriz Secundária em 2003), Angels in America (Actriz em Mini-Série ou Telefilme em 2004), The Devil Wears Prada (Actriz em Comédia ou Musical em 2007), Julie & Julia (Actriz em Comédia e Musical em 2010) e The Iron Lady (Actriz Drama em 2012) tendo ainda sido nomeada por The Deer Hunter (em 1979), Silkwood (em 1984), Out of Africa (em 1986), Evil Angels (em 1989), She-Devil (em 1990), Postcards from the Edge (em 1991), Death Becomes Her (em 1993), The River Wild (em 1995), The Bridges of Madison County (em 1996), Marvin's Room (1997), ...First Do No Harm (em 1998), One True Thing (em 1999), Music of the Heart (em 2000), The Hours (em 2003), The Manchurian Candidate (em 2005), por Mamma Mia! e também por Doubt (em 2009), It's Complicated (em 2010), Hope Springs (em 2013), August: Osage County (em 2014) e finalmente por Into the Woods (em 2015) constituindo-se como uma presença assídua na cerimónia nas últimas quatro décadas.
.
.
Meryl Streep irá receber o prémio Cecil B. De Mille numa cerimónia que se irá realizar no próximo dia 8 de Janeiro de 2017 em Beverly Hills.
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário