segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Clash of the Titans (1981)

.
Choque de Titãs de Desmond Davis é um clássico do cinema mitológico e que conta com um elenco de luxo de onde fazem parte Harry Hamlin, Laurence Olivier, Maggie Smith, Claire Bloom, Burgess Meredith e Ursula Andress.
A história, possivelmente conhecida de todos, conta-nos as aventuras e atribulações do jovem Perseu (Hamlin), filho de Zeus (Olivier), e que deslocado da sua terra pelas mãos de uma ciumenta deusa Tétis se vê obrigado a enfrentar os perigos e os enigmas que os deuses decidem colocar no seu caminho.
Umas vezes com os favores dos deuses.... outras obrigado a enfrentar os seus caprichos e vontades, Perseu tem de cortar caminho e vencer os perigos que se lhe deparam de forma a conseguir ficar com a sua amada Andromeda (Judi Bowker). Pelo caminho temos um unicórnio, um Kraken, uma Medusa, bruxas, escorpiões gigantes e muita aventura e acção.
Este filme que se o virmos hoje percebemos muitas imperfeições ao nível dos efeitos especiais é no entanto um genial filme por essas mesmas falhas. São elas que o tornaram imortal, um verdadeiro filme de culto e um marco no género pois, com uma narrativa simples mas muito elaborado e profissional consegue contar uma das maiores histórias de aventuras e de mitologia alguma vez feita no cinema.
Além disso, é de destacar um fantástico elenco que foi reunido para este filme. Algumas das grandes estrelas de cinema de sempre nomeadamente Laurence Olivier e Maggie Smith, que à altura já eram inclusive vencedores de Oscars, participaram neste filme juntamente com outras caras que eram relativamente novatos no mesmo como é o caso de Harry Hamlin e Judi Bowker. Estavam aqui juntos um conjunto de actores de várias gerações e com formações diversas que contribuíram também para que este filme se tornasse num exemplo do género.
Sem comparações com a versão feita este ano pois nem sequer ainda a vi, mas asseguro para quem não conhece que este filme da década de 80 é de longe um filme genial que consegue atrair todos e nem mesmo as suas pequenas imperfeições que poderiam afastar o público, o conseguem fazer.
Genial os momentos com a Medusa e o final com o Kraken. É impossível alguém não gostar dele depois de o ver. Um dos melhores filmes do género fantástico.
.
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário