quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Merlin and the War of the Dragons (2008)


Merlin e a Batalha dos Dragões de Mark Atkins conta com a participação do actor Jürgen Prochnow num filme que é essencialmente de aventuras e acção passada na mítica época do mago Merlin e da existência de dragões na Terra.
A retratar uma época interessante que pode sempre tornar um filme de orçamento mais ou menos pequeno num pequeno espectáculo de batalhas e de histórias místicas e míticas, este falha basicamente em todas as frentes possíveis e imaginárias.
As interpretações de uma forma geral são fracas, pouco convincentes e pobres. Não há qualquer tipo de expressão por parte dos actores que quase preferem parecer estátuas perfeitas sem emoção e mesmo nisso falham redondamente não conseguindo convencer absolutamente ninguém. Para o comprovar basta pensarmos nas deusas (ou semi) do lago que com o seu ar de femme fatale mais parecem umas saloias sem piada.
Os efeitos especiais, esses são igualmente pobres. A recriação dos poucos feitiços que se vêem no filme são do mais básico que pode existir e, para agravar o que já é mau, ainda é sobreposto à imagem real o que torna tudo do mais sem graça que se pode imaginar.
O mesmo acontece com a recriação dos dragões que mais parecem saídos de um qualquer jogo de computador, inclusive o seu bafo de fogo do qual se vê um pequeno rasto que se deduz matar alguns dos figurantes mas que na realidade nada se vê além de umas quantas cinzas que são lançadas em cena para causar uma "ilusão" mal recriada.
A apreciação geral deste filme não poderia, para mim, ser pior. O filme não tem graça, não é bem interpretado e a sua história mais não é do que algo parecido com uma colagem de histórias e de personagens que aparecem sabe-se lá de onde. Pobre, muito pobre o que só agrava ainda mais a falta de graça ou de estímulo que este filme tem, ou melhor... não tem.


1 / 10

Sem comentários:

Publicar um comentário