terça-feira, 7 de setembro de 2010

The Other Man (2008)

.
O Outro Homem de Richard Eyre é um pequeno e morno drama com a participação de Liam Neeson, Antonio Banderas, Laura Linney e Romola Garai nos principais papéis.
Peter (Neeson) e Lisa (Linney) são um casal com carreiras de sucesso que vivem aparentemente felizes nas suas vidas suburbanas. Devido à sua profissão Lisa vê-se constantemente envolvida em viagens a Milão...
Durante uma dessas viagens Peter descobre uma mensagem no telemóvel de Lisa e a suspeita leva-o a investigar os eu computador onde descobre fotos da sua mulher com um homem que mais tarde descobre ser Ralph (Banderas), o amante da sua mulher.
Considerando os actores, qualquer pessoa que aprecia bom cinema vai imediatamente ver este filme à espera que seja um filme daqueles de cortar a respiração. Quando assistimos ao trailer mais convencidos ficamos na medida em que este está muito bem elaborado e com as cenas ideais para aguçar o gosto de qualquer um. Pensamos em intriga, drama, acção, mistério e possivelmente até em crime.
No entanto, quando começamos a ver o filme a desilusão instala-se. Começa morno, muito morno, e sem nos conseguir prender logo à partida à trama ou a criar qualquer tipo de empatia com seja que actor fôr. Ficamos ali numa espécie de "valerá ou não o esforço" sem sair claramente para uma posição onde podemos pensar que o filme nos está a cativar.
O filme ora em acção real ora em flashback's lá vai descorrendo uma continuidade de factos e situações que contados de uma forma mais dinâmica e apelativa até teria conseguido torná-lo em algo mais interessante e dramático mas, no entanto, sentimo-nos quase numa situação de nem ata nem desata pior do que a própria missão que Neeson tem em descobrir o porquê da mulher ter arranjado um amante.
As próprias interpretações não passam do "morno". Não há aqui nenhuma que se destaque ou até mesmo que possamos dizer que consegue valer o filme pois, apesar de excelentes actores, a sua dinâmica está quase que adormecida.
Potencial o filme até tem e o seu argumento melhor filmado teria dado um filme bem interessante, no entanto falta algo, e já diz o ditado... de boas intenções está o inferno cheio. Apesar de um trailer bem conseguido, de uma história potencialmente interessante e de um conjunto de actores de primeira linha, este filme acaba por falhar em várias frentes, nomeadamente a falta de coerência dos próprios actores que mais parece terem sido deixados por sua conta e risco.
.
.
5 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário