terça-feira, 21 de setembro de 2010

Poltergeist (1982)

.
Poltergeist de Tobe Hooper é um intenso filme de suspense com a mão de Steven Spielberg pelo meio que conta com a participação de JoBeth Williams, Craig T. Nelson, Beatrice Straight, Zelda Rubinstein que se tornou numa das figuras mais emblemáticas desta trilogia, e a jovem Heather O'Rourke que se tornou numa figura emblemática do cinema fantástico apesar da sua breve carreira, e vida, como actriz.
Este filme transporta-nos para a vida suburbana de uma família, pais e três filhos, que um dia descobrem ter alguma "companhia" sobrenatural a viver com eles. Se de início tudo parecia incrivelmente estranho mas fantástico, rapidamente se apercebem que afinal a presença que têm em casa não é tão simpática quanto inicialmente parecia, antes pelo contrário é bem hostil e pretende bem mais do que eles poderiam pensar.
O filme em si, que é inicialmente uma simpática história sobre a vida de uma família banal que vive ainda os "restos mortais" de uns anos 70 meio hippies, torna-se aos poucos mas de forma intensa numa história algo assustadora. Talvez não tanto nos dias de hoje pois já vimos um sem número de filmes que se calhar nos incomodam mais mas, à altura, foi um sucesso pela sua componente de suspense.
A própria imagem e a sua luminosidade inicial transformam-no subitamente num filme mais negro, escuro e sombrio, o que apenas vem acentuar o próprio clima assustador com que ele nos brinda na segunda metade e até mesmo no surpreendente final.
É inevitável falar como este filme tem uma componente fantástica e horrorizante marcante graças também à mão de Steven Spielberg no filme. Aliás, basta começar por dizer que foi ele próprio que escolheu Heather O'Rourke para o papel principal após um encontro que teve com a jovem actriz, e que teve como resultado final o seu brilhante desempenho de vítima perseguida pelas forças do além que vamos conhecendo ao longo da trilogia.
Ao mesmo tempo, se pensarmos na filmografia e projectos em que Spielberg estava envolvido por estas alturas, temos obrigatoriamente de pensar em títulos como Encontros Imediatos de Terceiro Grau, ET e Salteadores da Arca Perdida, todos eles como uma componente de cinema fantástico bem acentuada e também Tubarão um clássico do cinema de terror. Spielberg esteve por detrás destes emblemáticos títulos, bem como de outros, que mostram vincadamente a sua "veia" para o cinema fantástico e com grandes doses de suspense também.
Poltergeist não seria diferente. Apesar de só ter estado envolvido no projecto como produtor, é impossível não perceber que a sua "mão" trabalhou e influenciou este filme, mais não fosse também pelo facto de que ele próprio esteve envolvido no próprio argumento do filme.
Intenso. Muito intenso, e seguramente o melhor filme da trilogia, este Poltergeist não iria deixar ninguém indiferente. Nem mesmo nos dias de hoje onde o filme já atingiu um estatuto de culto.
E para aqueles que duvidam que este filme é intenso... Vejam-no... E com muita e especial atenção as cenas do quarto em que o pequeno palhaço (não, não é nenhum actor é mesm oum boneco) ganha vida... E depois queixam-se que eles assustem qualquer um de nós...
.

.
"Tangina Barrons: There is no death. It is only a transition to a different sphere of consciousness."
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário