quinta-feira, 9 de julho de 2009

La Comunidad (2000)

"Una agente inmobiliaria con suerte... Un cadáver descompuesto... Una comunidad de vecinos codiciosos... 300 millones escondidos debajo de una baldosa... Algo huele a podrido en esta casa."


É com esta frase que A Comunidade de Alex de la Iglésia nos foi apresentado. A única referência que tinha deste realizador foi o seu brilhante O Dia da Besta que vi uma vez na RTP2 por mero acaso, filme esse que passei a adorar e com vontade de conhecer mais, no entanto na altura pouco era o cinema espanhol que chegava a Portugal (algo estranho considerando que é o ÚNICO vizinho que temos), à excepção claro do eterno Almodovar.

Só os créditos iniciais deste filme conseguem por si despertar o nosso interesse para o que virá dali. E à medida que o filme avança agarrar-nos imediatamente e não conseguimos pará-lo. Estamos conquistados.

Tudo se passa dentro de um prédio com um apartamento à venda, e que está a cargo da sempre magnífica Carmen Maura, encarregada por vendê-lo até que de repente... o vizinho de cima é dado como morto. Toda a trama começa a partir daqui. Qual não revelo, pois o filme é bom demais para que se perca algo. Podem ficar com uma ideia depois de verem a foto mais abaixo... espero que ela também desperte algum interesse em conhecer o filme, pois vale de facto a pena.

A Comunidade é uma excelente e extremamente bem construída e dirigida comédia negra que mostra um lado do cinema espanhol que não conhecia. Um filme que mostra a raíz da natureza humana quando está envolvido dinheiro. Como ele começa por ser encarado como a solução para todos os problemas e como de repente se torna no próprio problema. O lado mais selvagem e mais doentio. O quanto estão as pessoas dispostas a fazer para obtê-lo. Para obter mais. E finalmente para obter todo. TODO.

A mentira. A loucura. A ganância. A avareza. A maldade. A crueldade. A soberba. O egoísmo. A morte. Tudo isto causado pelo dinheiro e pelos instintos animalescos do ser humano. Tudo isto presente no filme. E mais!

Para ajudar a banda sonora. Muito intensa. Com sons pesados que nos revelam muito rapidamente as intensões de cada personagem. Por algumas somos surpreendidos. E bem.

A Carmen Maura está brilhante como sempre. Todo o elenco muito bem dirigido e a encarnar "no ponto" cada personagem. No entanto não sou capaz de esconder a simpatia que tenho por uma das "más" da fita. A Ramona... Brilhante, muito brilhante Terele Pávez que chegou inclusive a ser nomeada para o Goya de Melhor Actriz Secundária e que tem um papel estrondoso no filme. É de pedir por MAIS!

Para quem gosta de uma boa comédia negra... Um thriller... e uns bons momentos finais de alguma acção... não pode perder esta pérola de Alex de la Iglésia.




10 / 10

Sem comentários:

Publicar um comentário